Clique aqui

terça-feira, 31 de outubro de 2017

Não tem que ser assim!


Julian Rees

Os Maçons pertencem a uma organização que deve ser dedicada ao autoconhecimento, à natureza do ser, amor, tolerância, à fraternidade entre os homens, à liberdade de consciência e, sim, talvez a uma conexão com a Divindade no meio.
Mas nós ficamos atolados em sistemas que parecem uma hierarquia, obsessão com promoção a graus superiores, discussões sobre precedência, noções confusas sobre Deus, os méritos relativos deste ou daquele local para o jantar e um papaguear sem sentido sobre o que é, em si mesmo, um ritual significativo.
Talvez, o pior de tudo é nós nos acharmos uma organização caritativa, quando o que nós somos é, primariamente, uma organização com todos os atributos que eu mencionei, em adição, alguns filantrópicos.
Na noite em que eu fui iniciado, um dos Mestres Instalados apertou-me a mão dizendo: “Bem, rapaz, de agora em diante você não necessita de outros passatempos!” Eu, no mesmo momento, senti isso ofensivo, percebendo (corretamente) que a Maçonaria é uma profissão ou uma vocação, não um passatempo.
Minha impressão, formada tão precocemente, foi, logo em seguida, reforçada por visitas às lojas na Alemanha, onde eles levam essas coisas muito mais a sério do que nós, na Inglaterra.
Onde está a espiritualidade, a tentativa de auto melhoramento, as incursões no simbolismo, as incursões, por assim dizer, no inexplicado, tanto externa como internamente? Se nós examinarmos onde a Maçonaria está, na Inglaterra, neste momento, para dizer o mínimo, nós estamos engajados em iniciar cada vez mais homens na confraria para conferir­-lhes o segundo e o terceiro graus, de modo que eles possam, por sua vez, ser designados como oficiais, numa Loja, no devido tempo para tornarem-se Veneráveis Mestres. Com que finalidade?
A finalidade, infelizmente, é tal que eles possam iniciar mais homens, de modo que esses homens possam fazer o mesmo a outros homens, infinitamente. Parece que nós fazemos isso com a justificativa de “um avanço diário no conhecimento maçônico”.
Seria muito perguntar que avanço? O que aconteceu com eles? Como a Maçonaria moldou suas vidas, afinal? Cresceram eles e, se afirmativo, de que maneira? O que aprenderam eles? Estas não são perguntas teóricas, porque, para alguns desses irmãos, algo aconteceu: a Maçonaria modificou suas vidas, mesmo que em uma maneira limitada; eles podem, realmente, ter crescido sem o perceber; eles, quase certamente, aprenderam alguma coisa, nem que seja algum ritual obrigatório. Mas, para muitos de nós, a concessão de graus muito cedo se tornou um fim em si mesmo.
É fácil esquecer que a Maçonaria no século XVIII era um movimento radical, frequentemente posicionando-se contra os abusos do poder de parte do establishment. O seu desenvolvimento e crescimento foram uma parte vital da Era do Iluminismo. Ela foi, para muitos, uma rota para o conhecimento que lhes era negado por um sistema religioso ou político opressivo.
Assim, depois de uma recente palestra sobre educação na Maçonaria, quando eu perguntei ao palestrante se seria possível incluir palestras sobre assuntos históricos ou filosóficos como uma característica normal dos trabalhos de loja (tal como são costumeiros em muitas lojas continentais [1]), a resposta foi que “isto não serviria para a maioria – afinal, as pessoas usufruem a sua Maçonaria em muitos níveis diferentes”, uma regra de Maçom de garfo e faca, se é que exista uma.
A boa notícia é que isso não tem que ser assim. Como Collin Dyer indicou, o modo apropriado de instruir nossos jovens maçons não é pela repetição das cerimônias de grau, mas pelos vários sistemas de palestras maçônicas. No final do século XVIII e início do século XIX, as Lojas de Instrução não ensinavam cerimônias de graus, pois estavam muito mais engajadas em debates morais e filosóficos.
Os Maçons eram, frequentemente, feitos fora da Loja, reunidos e levados para dentro do Templo onde o seu real trabalho começava, na busca moral, intelectual e espiritual. Cerimônias de grau, em contraste, são os únicos meios (apesar de enfeitados) de fazer Maçons e adiantá­los aos outros graus assim que tenham aprendido alguma coisa. Graus de quê? Para atingir um grau mais elevado, certamente você tem, antes, que estudar, aprender, ganhar proficiência.
Este é o princípio de uma progressão acadêmica e o método progressivo empregado por qualquer instituto merecedor do nome. Por que as exigências da Maçonaria deveriam ser menores? As questões perfunctórias que nós exigimos, hoje em dia, dos nossos candidatos para avanço são meramente os restos de um intricado sistema de palestras morais que, no século XVIII, tinham que ser ministradas verbalmente (uma vez que nada era escrito) e aprendido de cor antes que um candidato pudesse avançar para um grau superior. 
Hoje em dia, até mesmo um mínimo que tenha sobrado disso não se constitui num teste real, de modo algum, uma vez que qualquer quantidade de ajuda pelo Diácono, por seu lado, é permitida. [2] Comparo isso com as lojas alemãs que eu visitei, onde, em cada reunião, o Mestre encarregava um de seus irmãos mais novos de preparar e de realizar, na sessão seguinte, uma palestra sobre um assunto filosófico à sua escolha e ficar preparado para responder questões sobre ele. Ou a loja francesa que eu visitei, onde um candidato à iniciação não foi aceito depois de meses de pesquisas sobre as suas atitudes morais e filosóficas.
Quando eu escrevi este texto pela primeira vez, eu tinha em mente as experiências de um ou dois de nossos irmãos mais novos, cujos segundo e terceiro graus vieram bem depois de suas iniciações. Eles se mostraram surpresos de que não se esperava deles um avanço mais significativo no conhecimento maçônico e pareciam aborrecidos pela falta de atividade. Em resumo: eles se sentiram abandonados. Eu tenho a nítida impressão que eles tinham o direito de se sentirem assim.
Então, e daí? Qual é o nosso avanço diário no conhecimento maçônico e como nós tratamos desse negócio de autoconhecimento, crescimento interno? Ou são, todas elas, apenas palavras vazias?

Notas
[1] – Lojas continentais – referência às lojas europeias fora da Inglaterra. (N. T.)

[2] – Referência ao fato de que o 1.º Diácono, muitas vezes, “assopra” partes do texto aos irmãos que estão sendo submetidos ao questionário ou ao telhamento. (N. T.)
Texto originalmente publicado no site O Ponto Dentro do Círculo, e adaptado para o Blogue do GORN. Clique AQUI para ler o original.

Agenda Maçônica - 31/10/2017

Nesta terça-feira tem Sessão Maçônica nas seguintes Oficinas:

MOSSORÓ
- Loja Bet-El nº 12, Rua Edmar Francisco Pereira, s/n, Aeroporto - R∴Y∴
MACAU
Loja 27 de Dezembro nº 04, Rua São José, 306, Centro - R∴E∴A∴A∴
NOVA CRUZ
Loja União do Agreste nº 15, Rua 1º de Maio, s/n - R∴E∴A∴A∴

PARELHAS

Loja Cirilo Santos nº 16, Rua Daniel Gomes de Oliveira, 44 - R∴E∴A∴A∴

APODI


Loja Vale do Apodi nº 17, Rua Albanisa Barbosa, nº 100 - Cj IPE, BR 405, Km 75 - R∴E∴A∴A∴

CAICÓ
Loja Frank Shermann Land nº 27Rua Juarez Távora, 1403, Mainard - R∴E∴A∴A∴
AREIA BRANCA
Loja Coronel Fausto nº 05, Rua Maria Lúcia de Góis, 26 - IPE - R∴E∴A∴A∴
NATAL
Loja União e Vitória nº 20, Parnamirim, Rua Antonio Lopes Chaves, 256, Parque do Pitimbú - R∴E∴A∴A∴ 
Loja Obreiros de Santos Reis nº 31, Rua Presidente Bandeira, 326 - Alecrim, no Templo da Loja Pe. Miguelinho - R∴B∴

Loja Bartolomeu Fagundes nº 08, Natal, Rua Alexandrino de Alencar, 1247 - Tirol - R∴E∴A∴A∴ 

Loja Hegésippo Reis de Oliveira nº 10, Natal,  Rua Presidente Quaresma, 1119 - Lagoa Seca - R∴E∴A∴A∴

- Loja Sol Nascente nº 24, Natal, Rua Maracanã, 7933 - Cidade Satélite - R∴E∴A∴A∴

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Convite para cerimônia de Aposição de Flores

Quinta-feira, dia 2 de novembro, é dia de reverenciar os Irmãos que partiram para o Oriente Eterno.
Neste sentido, a Beneficência Maçônica das Lojas do Rio Grande do Grande do Norte, presidida pelo Irmão João Vieira de Morias, convida os irmãos, cunhadas, sobrinhos e sobrinhas para participar da Cerimônia de Aposição de Flores.
Evento deve começar às 9h00, em frente à Pirâmide Maçônica, localizada no Cemitério do Alecrim.
Uma oração, mesclada com palavras de conforto a serem proferidas pelo Sereníssimo Irmão José Ozair Pinto Filho, Grão-Mestre Adjunto do GORN, marcarão a solenidade.
Não haverá necessidade de traje maçônico, mas a Previdência Maçônica recomenda que os Irmãos evitem o uso de bermudas.

Agenda Maçônica - 30/10/2017

Hoje, segunda-feira, tem Sessão Maçônica nas seguintes Oficinas:

NATAL

- Loja Fraternidade de Ponta Negra nº 19, Av. Praia de Muriú, 260,  Ponta Negra. R∴E∴A∴A∴

- Loja Filhos da Fé nº 02, Rua Santo Antonio, 736 - Cidade Alta. R∴E∴A∴A∴

CEARÁ-MIRIM

- Loja Princesa dos Canaviais, nº 22, Rua Santa Teresinha, 80, Conjunto Luiz Lopes Varela. Sessão Econômica no Grau de Aprendiz. R∴E∴A∴A∴

MOSSORÓ
- Loja João da Escóssia nº 09, Rua Felipe Camarão, 23, Bairro Doze Anos. R∴E∴A∴A∴

sábado, 28 de outubro de 2017

Prestação de contas do Tribunal Eleitoral Maçônico

MENSAGEM DO PRESIDENTE
George Heronildes

Estimados Irmãos.
No presente mês completamos 1 (um) ano de escolha e posse da atual Diretoria do TEM – Tribunal Eleitoral Maçônico do GORN – Grande Oriente do Rio Grande do Norte.
A vida de quaisquer instituições depende do trabalho dedicado de homens, os quais, no decorrer do tempo oferecem o respetivo contributo para a sua criação, manutenção, consolidação e atualização do que está consolidado. Queremos, portanto, antes de mais nada, homenagear a todas as operosas Gestões anteriores, que, de forma meritória, assim trabalharam para o engrandecimento gradativo da qualificação deste Tribunal. 
Chegada a nossa vez, é hora de apresentarmos um balanço. E o fazemos, outrossim, em nome dos demais membros do TEM, pois a Administração (eis o importantíssimo) não foi composta só pelas Presidência e Vice, mas por todos os outros Juízes, que, indistintamente, de maneira ativa e vibrante, dela participaram sem regatear esforços. Daí o meu muitíssimo obrigado nominalmente aos Ilustres irmãos Aurino Vila; Hélio Fernandes; João Batista Machado Barbosa; Henrique Baltazar Vilar dos Santos; Mirocem Ferreira de Lima e José Gilvan Alves. 
Com efeito, empossados em outubro de 2016, no mês fevereiro de 2017 implantamos o PJE – Processo Judicial Eletrônico no âmbito interno do Tribunal, através da Resolução nº 001-2016/2019, de 20.02.2017. Tal providência oportunizou maiores praticidade, participação e presteza na prestação jurisdicional, já relativas aos processos dos pleitos ocorridos no mês de maio do corrente ano, das eleições para os Cargos de Administração das Lojas e de Deputados e seus Suplentes da PALM – Poderosa Assembleia Legislativa Maçônica.
No antecessor mês de abril, já expedíramos, às Augustas Oficinas jurisdicionadas, a Prancha Circular nº 001-2016/2019-TEM, de 17.04.2017, com a finalidade de colher propostas que pudessem suprir eventuais lacunas existentes em nossa legislação.
Finalmente, em agosto último, coincidindo com as comemorações do Dia do Maçom, idealizamos e providenciamos a criação e inserção no blog e no sítio do GORN, de duas páginas destinadas à divulgação das nossas atividades: a primeira, com acesso livre ao público, e a segunda, restrita aos Mestres Maçons. 
Por oportuno, concluindo, honra-nos agora informar que, a seguir, encontra-se publicado esplendoroso artigo lavrado pelo Irmão Hélio Fernandes, sapientíssimo e ilustre Juiz Decano de nossa Corte Eleitoral. 
Na expectativa de que tenhamos atendido, ainda que de forma básica, às expectativas jurisdicionais deste Grande Oriente, externamos o nosso T.’. F.’. A.’., já antecipadamente somado aos sinceros votos de que o G.’. A.’. D.’. U.’. nos conceda um aconchegante Natal e inspire a um Ano Novo humanitário para a sociedade brasileira.
Oriente de Natal, 28 de outubro de 2017 da E.’. V.’.

Presidente do TEM 

**************************
Artigo
A JUSTIÇA ELEITORAL MAÇÔNICA
Hélio Fernandes

Com a dissensão verificada no Grande Oriente Estadual, surgiu, no dia 8 de junho de 1973, o Grande Oriente Independente do Estado do Rio Grande do Norte – GOIERN - resultante da Convenção das Lojas Maçônicas do Estado.
Através do Decreto Nº 01/73, de 11/DEZ/1973, E.: V.:, a ASSEMBLEIA CONSTITUINTE decretou e promulgou a CONSTITUIÇÃO DO GRANDE ORIENTE INDEPENDENTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE. (Um raro exemplar, encontrado pelo irmão Ivoldete Bezerra junto ao Irmão Cícero Bezerra. Daí, os profundos agradecimentos a estes dois estimados irmãos).
Por força do art. 86, II, o “Tribunal Estadual de Justiça Eleitoral” passou a integrar o Poder Judiciário do GOIERN.
Ocorre que, mesmo instituída a Justiça Eleitoral Maçônica no âmbito do GOIERN, as eleições nas Lojas jurisdicionadas realizadas em maio de 1975 foram regidas pela Resolução Nº 02/75, de 08/ABR/75, E.: V.:, do soberano Grão-Mestre Armando de Lima Fagundes (O MAÇOM ESCLARECIDO, JOSÉ ALEXANDRE GARCIA, Natal-RN-1976, págs. 75/80), sob o entendimento de que o art. 94 do texto constitucional não delegava “competência ao Egrégio Tribunal de Justiça Maçônica para disciplinar o processo eleitoral em epígrafe”. Na verdade, o art. 94 refere-se ao Egrégio Tribunal Eleitoral Maçônico.
De outro lado, somente, em 20 de agosto de 2001, é que foi submetido à apreciação da Assembleia Legislativa do GOIERN o Projeto de Lei que instituía o Código Eleitoral Maçônico, ressaltando o soberano Grão-Mestre de então, irmão João Batista Coringa, que esperava ter com o Código Eleitoral aprovado “um documento legal que norteará o processo eleitoral, evitando constantes mudanças nos procedimentos de votação para os cargos eletivos do GOIERN” (ARQUIVO DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA MAÇÔNICA).
Finalmente, a Lei Nº 002/200-2007, de 13 de junho de 2005, votada pela Assembleia Legislativa Maçônica e sancionada pelo soberano Grão-Mestre Ticiano Duarte, instituiu o Código Eleitoral Maçônico do Grande Oriente Independente do Estado do Rio Grande do Norte.
No âmbito do Egrégio Tribunal Eleitoral Maçônico do GOIERN, uma providência inovadora, de iniciativa da presidência, foi a Resolução N° 001-2016/2019, de 20 de fevereiro de 2017, regulamentando o processamento das impugnações e dos recursos relativos às eleições para os cargos de administração das Lojas, de Deputado e de Suplente de Deputado da Assembleia Legislativa Maçônica.
O Egrégio Tribunal, ao julgar em única e última instância, tem propiciado uma 
inestimável contribuição à pacificação dos pleitos nos limites do GOIERN (hoje GORN).
Assinale-se que, na jurisdição do SUPREMO CONSELHO dos graus 4 a 33 do Rito Escocês Antigo e Aceito, as eleições são regidas pelo seu REGULAMENTO GERAL.
Para o devido registro histórico, consigna-se: 1) não haver sido possível informar a primeira composição do Tribunal; 2) da placa comemorativa do JUBILEU DE PRATA do GOIERN (25/O8/69-25/08/94) afixada à entrada do GORN, colhe-se esta composição: Presidente Deusdedit Chves Maia, Membros Caio Otávio R. de Alencar, João Meira Lima, Hélio Fernandes Silva, Aécio Sampaio Marinho, João Batista Rodrigues Rebouças e Norivaldo Souto Falcão; 3) na Sagração do Templo “Armando de Lima Fagundes”, em 29.08.97, era Presidente do TEM o eminente Desembargador e irmão Deusdedit Chaves Maia (placa comemorativa afixada à entrada do Templo); 4) a composição atual: Presidente George Macêdo Heronildes e Silva, Vice-Presidente Aurino Lopes Vila, Membros Hélio Fernandes Silva, Henrique Baltazar Vilar dos Santos, João Batista Machado Barbosa e José Gilvan Alves.
Da mais alta relevância esta página digital destinada ao resgate histórico do Egrégio Tribunal Eleitoral Maçônico do GORN.

Juiz do TEM

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Agenda Maçônica - 27/10/2017

Hoje, sexta-feira, tem Sessão Maçônica nas seguintes Oficinas do Grande Oriente do Rio Grande do Norte:

NATAL


Loja Clementino Câmara nº 07, Rua Forte dos Reis Magos, 1173 - Dix-Sept Rosado - R∴E∴A∴A∴
Hoje, haverá Sessão Magna de Elevação no Grau de Companheiro Maçom. 
Traje: paletó com paramentos. 
Simultaneamente, o Clube das Samaritanas fará reunião.



Loja Cavaleiros de Aço nº 30, Rua Antonio Basílio, 3503 - Lagoa Nova - R∴E∴A∴A∴

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Agenda Maçônica - 26/10/2017

Hoje, quinta-feira, tem Sessão Maçônica nas seguintes Oficinas:

PAU DOS FERROS

Loja 13 de Setembro nº 13, Rua Carloto Távora, 1117 - Centro - R∴E∴A∴A∴

JARDIM DO SERIDÓ

Loja União Jardinense nº 14, Rua Dr. Ruy Mariz, 202 - R∴E∴A∴A∴
NATAL
Loja Padre Miguelinho nº 03, Rua Presidente Bandeira, 326 - 1º Andar - Alecrim - R∴E∴A∴A∴
Loja Rio Potengi nº 28, Rua Itapagé, 2691, Panatis - R∴E∴A∴A∴
Loja Emídio Fagundes nº 06, Rua Antonio Basílio, 3503 - Lagoa Nova - R∴E∴A∴A∴
ASSU
Loja Fraternidade Assuense nº 11, Rua Professor Luiz Antonio, 595 - Centro - R∴E∴A∴A∴

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

A Psicanálise


Rizzardo da Camino

É a ciência que estuda o subconsciente, usando métodos apropriados.
Apesar de constituir uma ciência moderna, de um século atrás, o estudo da mente ou da alma, como querem alguns, sempre existiu.
Quem se submete a uma análise estará abrindo a sua mente e revelando em voz alta, a quem o escuta, todas as suas intimidades, até as mais escabrosas ou ingênuas.
O tratamento consiste, portanto, numa 'autoação' provocada pelo dirigente, que deve ser profissional.
Maçonicamente, e isso é tradicional, é oferecido ao Maçom uma garantia plena, a de que tudo que ele possa revelar de si ou de outrem não se tornará público, pois, ao final dos trabalhos, todos os presentes juram nada revelar do que se passou na reunião.
Quando o assunto necessitar maior cuidado, o Maçom é convidado a se colocar entre colunas, momento em que poderá abrir o seu coração, sem que sofra qualquer admoestação ou crítica.
São métodos de psicanálise que a Maçonaria usa há séculos.
Na formação da Cadeia de União, também, o Maçom põe para fora tudo o que esta pressionando, retirando-se, depois, completamente aliviado.

Do livro Breviário Maçônico - Para o dia-a-dia do Maçom
3ª Edição, 1999, Madras Editora Ltda.

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Loja Filhos da Fé comemora 118 anos de fundação

Mesa diretora dos trabalhos: Irmãos Núbio Fonseca, Antônio de Brito Dantas,
José Ozair Pinto Filho, Antônio Gomes da Silva e o Venerável José Mário

Com a presença de centenas de Irmãos, cunhadas, sobrinhos e convidados, a Loja Filhos da Fé comemorou ontem o seu 118º aniversário de fundação.
A Sessão Magna Branca foi realizada no Templo Armando Fagundes, na sede do Grande Oriente do Rio Grande do Norte, e presidida pelo Irmão José Mário, Venerável Mestre.
O Grão-Mestre e o Grão-Mestre Adjunto, respectivamente Irmãos Antônio Gomes da Silva e José Ozair Pinto Filho, prestigiaram os trabalhos.
O Irmão Sílvio Câmara de Oliveira, Mestre Instalado da Loja Pe. Miguelinho e advogado trabalhista, fez uma exposição sobre a Reforma da Previdência em tramitação no Congresso Nacional, alertando para as consequências negativas que a classe trabalhadora brasileira terá com a sua aprovação.
Durante a Sessão, a Loja Filhos da Fé homenageou com a Medalha Raimundo Ribeiro da Hora a Loja Cavaleiros de Aço, o Grupo de Escoteiros Professor Luiz Soares, os Irmãos Flaviano Santos Dutra Massa, José da Paz de Souza Araújo, Antônio Inácio de Souza, Francisco de Assis Araújo e a cunhada Maria Almira de Goes B. Melo.
Depois dos trabalhos, a loja ofereceu um coquetel de confraternização na área externa do GORN.
 
 
 
 

COMAB se posiciona contra destruição dos valores morais

A Confederação Maçônica do Brasil, COMAB, esteve reunida recentemente em João Pessoa e publicou uma carta aberta ao povo brasileiro, na qual externa apoio e amparo aos valores da família, da defesa da infância e da juventude.
Em texto assinado pelo Irmão Gilberto de Lima Silva, presidente da COMAB, a Maçonaria diz não à destruição dos valores morais da sociedade brasileira, incluindo ideologia de gêrnero, pronografia e exposição infantil gratuitos.
Abaixo, o Blogue do GORN publica o documento na íntegra:

CARTA DE JOÃO PESSOA
∴ A COMAB DIZ NÃO À DESTRUIÇÃO DOS VALORES MORAIS ∴
(Incluindo Ideologia de Gênero, Pornografia e Exposição Infantil gratuitos)

Ir∴ Gilberto de Lima Silva
A Confederação Maçônica do Brasil – COMAB se manifesta perante a Nação Brasileira para externar suas preocupações e solicitar um maior apoio quanto ao amparo aos valores da família e da defesa da infância e da juventude.
A Maçonaria é uma Instituição que já muito sofreu historicamente com censura, incompreensão e perseguições. Seria um contrassenso pregar que sejam banidas formas de expressão. Exige, porém, que haja o devido cuidado na seleção do púbico alvo.
Nos dias atuais está em voga o “politicamente correto”, aonde grupos procuram ostentar ou impor o seu modo ou sua cultura a todos, fazendo com que aquilo que poderia ser construtivo na aceitação da diversidade, se transforme em uma luta de uns contra outros.
Não se prega que deixem de existir manifestações de qualquer conteúdo, desde que dirigido e restrito ao público adequado. O que se espera é que se adotem cuidados para que não esteja aberto a crianças e adolescentes ou para quem não queira ver ou participar. Não é o caso de esconder, mas o caso de expor apenas em ambiente controlado o suficiente para que seja destinado tão-somente a, quem, por sua liberdade, quer ver. Que não pululem tais conteúdos na televisão, nos jornais, na timeline (seja de adultos, adolescentes ou crianças) pois, do contrário, o sensacionalismo decorrente acaba expondo ainda mais o fato a quem nem teria tomado conhecimento dele.
Nosso ordenamento jurídico, que muito prezamos, prioriza os valores de defesa da infância e juventude. Se a Sociedade não as protege adequadamente, por exemplo, de “performances artísticas”, ou de “experimentar para descobrir a qual gênero pertence”, estará deixando livre o ruir de sua inocência infantil e de seu pudor, só porque é “menos grave do que o que acontece nas ruas e até nas casas”.
Se a democracia pressupõe que todos possam expressar, inclusive suas opiniões (como esta aqui), pressupõe também que não se pode ser obrigado a algo que não se quer, ou ainda, do qual se quer preservar às vistas inocentes da infância, ainda despreparadas à adequada compreensão e alcance do que estão vendo e/ou experimentando.
Quando alguns indivíduos buscam criar factoides, acabam dando os minutos de fama que tanto querem (seu objetivo de “causar” é alcançado), à custa de levar ao conhecimento de todo o país e do mundo que eventualmente dê valor a isso, entrincheirando e dividindo a população, colocando uns contra os outros, por causa de algo tão sem valor quanto danoso aos valores da infância que precisam ser tutelados por adultos conscientes e alinhados com a cultura da Sociedade atual.
A COMAB, legítima representante dos Maçons Brasileiros a ela confederados se manifesta, enfaticamente, contra toda e qualquer expressão, quer dita artística ou não, por qualquer meio de comunicação, que de maneira irresponsável seja exposta à crianças e/ou adolescentes, sem qualquer critério de seleção de local, horário e faixa etária, em prejuízo da formação cultural sadia, cívica, moral e ética da juventude brasileira.

Oriente de João Pessoa, Estado da Paraíba, aos 12 dias do mês de outubro de 2017, Dia da Criança.

Gilberto de Lima Silva
Presidente da COMAB

Agenda Maçônica - 24/10/2017

Nesta terça-feira tem Sessão Maçônica nas seguintes Oficinas:

APODI


Loja Vale do Apodi nº 17, Rua Albanisa Barbosa, nº 100 - Cj IPE, BR 405, Km 75 - R∴E∴A∴A∴

CAICÓ
Loja Frank Shermann Land nº 27Rua Juarez Távora, 1403, Mainard - R∴E∴A∴A∴
AREIA BRANCA
Loja Coronel Fausto nº 05, Rua Maria Lúcia de Góis, 26 - IPE - R∴E∴A∴A∴
NATAL
Loja União e Vitória nº 20, Parnamirim, Rua Antonio Lopes Chaves, 256, Parque do Pitimbú - R∴E∴A∴A∴ 
Loja Obreiros de Santos Reis nº 31, Rua Presidente Bandeira, 326 - Alecrim, no Templo da Loja Pe. Miguelinho - R∴B∴

Loja Bartolomeu Fagundes nº 08, Natal, Rua Alexandrino de Alencar, 1247 - Tirol - R∴E∴A∴A∴ 

Loja Hegésippo Reis de Oliveira nº 10, Natal,  Rua Presidente Quaresma, 1119 - Lagoa Seca - R∴E∴A∴A∴

- Loja Sol Nascente nº 24, Natal, Rua Maracanã, 7933 - Cidade Satélite - R∴E∴A∴A∴
MOSSORÓ
- Loja Bet-El nº 12, Rua Edmar Francisco Pereira, s/n, Aeroporto - R∴Y∴
MACAU
Loja 27 de Dezembro nº 04, Rua São José, 306, Centro - R∴E∴A∴A∴
NOVA CRUZ
Loja União do Agreste nº 15, Rua 1º de Maio, s/n - R∴E∴A∴A∴

PARELHAS
Loja Cirilo Santos nº 16, Rua Daniel Gomes de Oliveira, 44 - R∴E∴A∴A∴